Notícias

Servidores protestam na Assembleia Legislativa contra mudanças na Previdência

Servidores protestam na Assembleia Legislativa contra mudanças na Previdência
Brasil de Fato

Servidores protestam na Assembleia Legislativa contra mudanças na Previdência

1/9/2020

Professores, policiais, trabalhadores de saúde e outros funcionários públicos de Minas Gerais protestam desde às 9h desta terça (1/9/20). Eles são radicalmente contra os projetos enviados por Romeu Zema (NOVO) aos deputados estaduais e que tratam de mudanças na Previdência dos servidores estaduais. A Proposta de Emenda à Constituição 55, que acabou de ser aprovada em primeiro turno, e o Projeto de Lei Complementar 46, que deve passar por discussão em uma comissão na tarde de hoje.

O ato acontece na entrada da Assembleia Legislativa, onde funciona a sessão dos deputados, mas está fechada para a entrada da população. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e o Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE/MG) publicaram fotos de um forte aparato policial no local, mostrando atiradores de elite, um veículo blindado da Polícia Militar e grades cercando o edifício.

Críticas

A professora Denise Romano, coordenadora-geral do Sind-UTE/MG, lista alguns dos prejuízos que as professoras estaduais terão com a PEC 55 e o PLC 46.

“O governo quer diminuir salário e impor novas contribuições aos aposentados. Nós estamos aqui [na ALMG] acompanhando e protestando pela derrubada da Reforma da Previdência. Cada deputado estadual desse estado não tem autorização da categoria para destruir a nossa vida e a nossa carreira. Não tem autorização para reduzir o salário de uma professora aposentada que ganha R$ 2 mil”, indigna-se Denise.

A deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT), que vem acompanhando a pauta desde o início, chamou atenção para o método com que os projetos estão sendo conduzidos e aprovados, o que ela classificou como “método autoritário”.

“[Romeu Zema] tenta transferir a responsabilidade para a Assembleia Legislativa, inclusive tenta jogar a população contra os demais poderes”, argumenta Beatriz Cerqueira. “Não teve nem a tentativa de diálogo com as entidades sindicais”. A deputada votou contra a PEC 55.

A PEC foi aprovada no início da tarde de hoje (1), com 51 votos favoráveis e 19 deputados contra. Já o PLC


Entenda a proposta de Romeu Zema

Há dois meses, o governador de Minas encaminhou à assembleia dois projetos prevendo mudanças profundas na Previdência pública estadual: a Proposta de Emenda à Constituição 55 e o Projeto de Lei Complementar 46. Hoje, as duas matérias estão sendo discutidas na Assembleia Legislativa.

As principais mudanças são: diminui direitos dos servidores estaduais, diminui salários, aumenta a contribuição previdenciária dos servidores que ganham menos, aumenta o tempo de contribuição, dificulta o acesso à aposentadoria, obriga professoras a trabalharem 40 anos em sala de aula para poderem ter aposentadoria integral e descaracteriza o projeto do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), que pode ser dividido em duas companhias.

Edição: Rafaella Dotta

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.